Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint Julho 2011

Análise da performance do mercado de escritórios de Lisboa


De acordo com a consultora, o mês de julho registou uma absorção total de 3.589 m², mantendo a fraca performance que tem vindo a marcar o ano 2011, que no acumulado à data observa uma absorção total de 33.886 m². As quedas mensal e homóloga ascendem a 36% e 42%, respectivamente.

A Jones Lang LaSalle revela também que do total de absorção mensal em julho, 75% diz respeito à mudança de instalações, o que implica uma libertação de espaço usado no mercado. Apenas 21% das operações resultaram da entrada de novas empresas na região de Lisboa, uma realidade que evidencia as atuais dificuldades económicas e financeiras do país e do seu tecido empresarial.

No que respeita à segmentação por zonas, a zona 6 (Corredor Oeste) foi a mais dinâmica, com uma absorção de 2.250 m². Já a segunda mais ativa, zona 2 (CBD), registou uma atividade na ordem dos 594 m² ocupados, seguindo-se a zona 5 (Parque das Nações), com um take up de 413 m². Todas as restantes zonas registaram níveis de absorção que não superaram os 120 m², traduzindo a fraca performance do mercado lisboeta.

Em termos de sectores de atividade, as empresas “Farmacêuticas e Saúde” lideraram o dinamismo na tomada de espaços, ocupando, em julho, 1.154 m² de escritórios, seguindo-se as “TMT’s e Utilities”, com 694 m², “Outros Serviços” com 686 m2, “Produtos de Consumo” com 654 m², e “Serviços Empresas” com 401 m².