Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Leopharma fecha contrato com Torre Ocidente


A LEO Farmacêutica do Grupo dinamarquês Leopharma dedicado à investigação e desenvolvimento de novos medicamentos nas áreas da dermatologia e do critical care, acaba de arrendar 575 m² do moderno complexo de escritórios Torres Colombo.

Brevemente cerca de 50% dos colaboradores da Leopharma, empresa farmacêutica líder na saúde da pele, irão instalar-se na fracção B do 7º piso da Torre Ocidente. “A centralidade, a acessibilidade e a disponibilização de serviços, aliados à modernidade e qualidade do edifício”, são as principais razões que estão na base do contrato de acordo com Nuno Pargana Brás, Director Geral da LEO Farmacêuticos Lda. A Jones Lang LaSalle foi a consultora imobiliária responsável pela colocação da Leopharma na Torre Ocidente e actuou em nome do consórcio que detém as Torres Colombo - formado pelo Grupo Caixa Geral de Depósitos, Sonae Sierra, ING Real Estate e Iberdrola Inmobiliária.

De acordo com Mariana Seabra da Jones Lang LaSalle, "esta é a prova de que as condições oferecidas pela Torre Ocidente dão resposta adequada ao que é requerido pelas empresas de grande relevância, como é o caso da Leopharma. Estas empresas procuram espaços de qualidade, bem localizados, com boas acessibilidades e funcionalidades que tragam a necessária versatilidade aos seus colaboradores, assim como um vasto conjunto de serviços.
Os promotores não podem deixar de dar as boas vindas à Leopharma e manifestar a satisfação da excelente opção que efectuaram”, adianta.

Torres Colombo: caso de sucesso no segmento de escritórios em Lisboa

As Torres Colombo representam, na actual conjuntura, um caso único de sucesso no segmento de escritórios em Lisboa, como ficou comprovado, no passado, com a ocupação total em tempo record da Torre Oriente.

Segundo dados da consultora imobiliária Jones Lang LaSalle, a assinatura deste contrato representa a segunda maior operação da zona 3 em 2011 no mercado de arrendamento de escritórios. O Take Up total de todas as zonas até Agosto de 2011 foi de 37.000 m². Na zona 3,  onde está inserida a Torre Ocidente, atingiu os 1.382 m² distribuídos por 6 operações com uma média de 230 m².

A Torre Ocidente continua a ter uma grande procura, estando as negociações com potenciais clientes bastante adiantadas.
Segundo Mariana Seabra “os  potenciais ocupantes que procuram áreas maiores  têm sempre em consideração a Torre Ocidente nas visitas que realizam, demonstrando que a satisfação dos actuais arrendatários da Torre Oriente está a ser estendida, como era de esperar, a outras empresas de primeira linha”.

90 Milhões de euros de investimento

Dar resposta à comprovada falta de espaços de qualidade e, sobretudo, de grandes dimensões, que se verifica actualmente no mercado imobiliário de escritórios em Lisboa, foi o grande objectivo do lançamento das Torres Colombo.
Representando um investimento aproximado de 90 milhões de euros, este é um dos mais importantes produtos imobiliários do mercado de escritórios nos últimos anos na capital portuguesa e compreende as duas torres de escritórios com 14 pisos, com uma área bruta total de 58.000 m² . As Torres, o Centro Colombo e os estacionamentos formam o maior conjunto edificado e “mixed use project” do país, num total de aproximadamente 500 mil m².

Com uma área de open space de 2.000 m² por piso, as Torres Colombo foram especificamente desenhadas para satisfazer as necessidades de grandes empresas, posicionando-se no segmento mais elevado do mercado.
Certificação garante melhores práticas

O projecto Torres Colombo viu reconhecido o seu sistema de gestão ambiental através da certificação atribuída pela LRQA - Lloyd’s Register Quality Insurance,- prestigiada empresa certificadora e a única no mundo acreditada para operar em todos os sectores industriais - segundo a norma NP EN ISO 14001:2004 e ISSO 14001:2004.

Esta certificação demonstra a preocupação de todos os parceiros envolvidos no projecto na procura dos melhores critérios de gestão ambiental e na concretização das melhores práticas amigas do ambiente. No campo da certificação energética, o cuidado na execução das fachadas e a envolvente exterior da construção permite às Torres Colombo atingirem a classe B, a segunda classificação mais alta possível.

A Torre Ocidente obteve ainda a certificação de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho na gestão da construção, de acordo com a norma OHSAS 18001 (referencial de Gestão de Prevenção de Riscos Laborais), atribuída pela multinacional alemã líder na área da certificação TÜV Rheinland Group.