Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Relatório de Responsabilidade Social da Jones Lang LaSalle: Poupança de 563.000 toneladas de emissões de carbono para os clientes

Colin Dyer: “Indústria imobiliária é crucial na luta contra os desafios ambientais globais”


A intervenção da Jones Lang LaSalle possibilitou a redução de 563.000 toneladas  de emissões de carbono por parte do tecido empresarial em 2010, traduzidas em poupanças energéticas de $128 milhões para os seus clientes. Os resultados foram divulgados no relatório de Responsabilidade Social da empresa.

Este novo relatório, com o título “Where we Stand: Building Beyond Tomorrow” (tradução livre: “Onde Estamos: Construir além do Amanhã”), pretende ser uma avaliação rigorosa dos compromissos da Jones Lang LaSalle no âmbito da Responsabilidade Social Empresarial (RSE), incluindo o uso de energia e impacto ambiental da empresa, que, em conjunto, são o principal enfoque do seu programa global interno de sustentabilidade, o ACT for A Cleaner Tomorrow. O documento cobre ainda os compromissos de RSE da empresa nas áreas de ética, comunidade, espaço de trabalho, bem-estar e diversidade. Entre outros destaques, o relatório revela que em 2010 a Jones Lang LaSalle:

• Foi  nomeada, pelo terceiro ano consecutivo, como uma das empresas com maior ética no mundo (One of the World’s Most Ethical Companies’) pelo Ethisphere Institute (em 2011 voltou a ser nomeada).

• Foi nomeada “ENERGY STAR Partner of The Year” pela US Environmental Protection Agency pela segunda vez (em 2011, voltou a ser nomeada).

• Totalizava, no final de 2010, 624 profissionais acreditados no âmbito dos standards ambientais.

• Investiu mais de $1,9 milhões em iniciativas de solidariedade social, incluindo o contributo para fundos de auxílio a vitimas de catástrofes naturais.

Colin Dyer, CEO da Jones Lang LaSalle, afirma: “O nosso relatório de RSE relata as ações e desafios da empresa ao longo de 2010 no âmbito da sustentabilidade e da responsabilidade social, quer internamente quer no trabalho desenvolvido para os clientes. Levamos muito a sério o nosso papel enquanto cidadão empresarial global e temos muito orgulho na reputação conquistada por agir com integridade e com uma governação forte nas nossas relações comerciais, mas também pelas diversas formas pelas quais os nossos colaboradores se empenham em melhorar as comunidades em que vivem e trabalham. De forma particular, o imobiliário terciário é hoje amplamente reconhecido como sendo fundamental no âmbito dos desafios ambientais globais, incluindo as alterações climáticas e o consumo de recursos cada vez mais escassos. O Programa Ambiental das Nações Unidas estima que os edifícios são responsáveis por mais de 40% do consumo global de energia a nível mundial, um terço das emissões de gases de estufa e 30% do uso de matérias primas. Como um negócio e como uma indústria, temos a responsabilidade de dar resposta a estes desafios”.

O mesmo responsável acrescenta: “Um aspeto crítico do nosso papel de cidadania empresarial é contribuir para a sustentabilidade e prosperidade do mundo a longo-prazo.
Abraçamos, de forma entusiástica, cada oportunidade para, em conjunto com os nossos clientes, evoluir nesses objectivos, bem como para colaborar com outras entidades da nossa indústria com vista a abordar os desafios ambientais mais vastos e para os quais o imobiliário é um fator chave. Quer através dos nossos Serviços de Energia & Sustentabilidade; quer por sermos membros fundadores de associações como a Greenprint Foundation; quer através do nosso trabalho de research e investigação, como a série Global Sustainability Perspective; quer pelo programa interno ACT for A cleaner Tomorrow; a sustentabilidade é central no nosso pensamento estratégico e acreditamos no impacto colectivo e nas melhorias que toda a indústria imobiliária pode conseguir, trabalhando em conjunto”.

O relatório de Responsabilidade Social Empresarial da Jones Lang LaSalle foi elaborado de acordo com as diretivas do Global Reporting Initiative (GRI), cumprindo o nível C em termos de divulgação inicial da informação, com recurso a auto-avaliação; tendo assessoria e supervisão da Ceres, uma organização não lucrativa norte-americana de investidores, organizações ambientais e grupos públicos de interesse que trabalham como atores empresariais para abordar os desafios da sustentabilidade. Acreditamos também que este é o primeiro relatório a ser preparado em linha com as diretivas futuras do Suplemento para o Setor da Construção e do Imobiliário do GRI, no desenvolvimento do qual a Jones Lang LaSalle tem estado ativamente envolvida.
Informação adicional está também disponível no site da Jones Lang LaSalle na área RSE em www.joneslanglasalle.com/csr e no site da empresa em www.joneslanglasalle.com 

- ends -