Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Investimento em imobiliário de industrial e logística recupera no 2º trimestre de 2012

Volumes transacionados na Europa crescem 56% no 2º trimestre face ao trimestre anterior, refletindo a consolidação da apetência dos investidores, revela o research da Jones Lang LaSalle.


 

  • Os volumes totais transacionados no 2º trimestre alcançaram os €2,2 biliões, mais 56% do que no trimestre anterior, mas ainda assim os volumes semestrais continuam cerca de 20% abaixo dos registados em igual período do ano passado.
  •  O Reino Unido e a Alemanha contabilizam, em conjunto, 65% do total do investimento na Europa e atraíram 80% do capital internacional investido em ativos europeus. 
  • O contínuo interesse dos investidores nos mercados do Benelux, Países Nórdicos e nos principais países da Europa Central e de Leste foi negativamente influenciado pela escassez de produto prime – a cautela continua a dominar em relação aos mercados da Europa do Sul.
  • O capital internacional que seleciona os ativos europeus totalizou mais de €1 bilião, apenas marginalmente abaixo dos investidores do Reino Unido, que realizaram compras de ativos no valor de €1,1 biliões.
  • Os níveis de yields deverão manter-se estáveis nos principais mercados em 2012.

Os mais recentes dados da Jones Lang LaSalle referentes ao investimento em imobiliário logístico e industrial denotam que os mercados europeus continuam a registar um interesse substancial por parte dos investidores. Depois de um início de ano mais lento, os volumes recuperaram no 2º trimestre de 2012, contabilizando um investimento de €2,2 biliões em ativos de logística e industrial, num crescimento trimestral de 56%. Ainda assim, os volumes semestrais continuam cerca de 20% abaixo dos níveis de atividade do 1º semestre de 2011.

“Apesar do mercado europeu de industrial e logística ter continuado a enfrentar ventos adversos devido à reemergência dos constrangimentos dos mercado da Zona Euro, continua a verificar-se um forte interesse dos investidores em oportunidades de investimento core e com potencial de rendimento nos principais mercados da Europa. Esta é uma tendência visível no facto de os volumes estarem, nos primeiros seis meses do ano, cerca de 45% acima dos níveis transacionados no 1º semestre de 2008”, nota Chris Staveley, Diretor de European Logistics e Industrial Capital Markets na Jones Lang LaSalle.

O peso dos dois principais mercados europeus (Reino Unido e Alemanha) cresceu para 65% no 1º semestre de 2012, comparando com a quota de 50% registada em 2011. Os dois mercados registaram um aumento de atividade nos primeiros seis meses do ano face ao 1º semestre de 2011, com um crescimento de 4% no Reino Unido e 63% na Alemanha. Os volumes semestrais cresceram ainda em França (+14%), Polónia (+43%) e Rússia (+40%) face ao primeiro semestre de 2011. Em todos os outros mercados, a atividade decresceu.

“Os investidores continuaram a mostrar interesse no Benelux, Países Nórdicos e nos principais mercados da Europa Central e de Leste, mas a escassez de produtos core e estáveis nestes mercados foi a principal razão para o enfraquecimento da atividade nos primeiros seis meses de 2012. Por outro lado, a cautela continuará a ser dominante nos mercados da Europa do Sul”, comenta Chris Staveley.

Os investidores internacionais continuaram a expressar uma forte apetência por ativos europeus de industrial e logística. O capital internacional direcionado a este tipo de ativos superou o €1bilião na primeira metade de 2012, sendo este o segundo grupo de investidores mais forte atrás dos investidores oriundos do Reino Unido.  A maioria do capital internacional foi investido no Reino Unido  (60% do total do investimento estrangeiro) e Alemanha (20%), refletindo a preferência por produtos core em localizações prime.

“Apesar de se assistir a uma estabilidade generalizada nas yields prime em muitos mercados ao longo do trimestre, o aumento da seletividade entre os investidores cautelosos levou a uma maior polarização dos mercados em meados de 2012. Em vez de uma alteração num só sentido, registaram-se variações quer negativas quer positivas em termos homólogos”, comenta Alexandra Tornow, Head de EMEA Logistics e Industrial Research na Jones Lang LaSalle.

De acordo com a Jones Lang LaSalle, a yield inicial líquida ponderada de ativos logísticos prime na Europa cresceu 10 pontos base para os 7,50% no 2º trimestre de 2012, após quatro trimestres consecutivos sem alterações. A Alemanha continua a ser medalha de ouro, com uma crescente compressão de yields nos principais mercados logísticos no 2º trimestre, decrescendo entre 10 a 15 pontos base. Esta compressão foi atenuada pelos níveis de yields em Glasgow (+25 pb), Milão (+15pb), Moscovo (+25 pb), Paris (+20 pb) e Estocolmo (+25pb).

O aumento suave das yields combinada com o declínio das rendas levou a uma contração marginal na valorização de capital anualizada no 2º trimestre de 2012, embora esta não seja encarada como uma tendência, prevendo-se estabilidade na maioria dos mercados no restante do ano. “Numa perspetiva positiva para o segundo semestre do ano, o sentimento sugere que existe potencial para um aumento da atividade à medida que os investidores continuam a afastar-se das ações e preferem ativos de rendimento garantido”, nota Alexandra Tornow.

 

- ends –

Nota aos Editores:

Estão disponíveis gráficos mediante solicitação

A análise do mercado de investimento da Jones Lang LaSalle é baseada no total da região Europeia e inclui transações de valor superior a 3,5 milhões de euros ($ 5 milhões).

 

Sobre a Jones Lang LaSalle
A Jones Lang LaSalle (NYSE:JLL) é uma empresa de serviços financeiros e profissionais especializados em imobiliário. A empresa disponibiliza serviços imobiliários integrados prestados por equipas de especialistas em todo o mundo para clientes que procuram obter valor acrescentado na promoção, na ocupação ou no investimento imobiliário. Com uma faturação global de 3,6 mil milhões de dólares em 2011, a Jones Lang LaSalle conta aproximadamente com 200 escritórios em todo o mundo, operando em mais de 1.000 localizações em 70 países. A Jones Lang LaSalle é líder da indústria imobiliária na prestação de serviços de gestão de propriedades e de instalações corporativas, com um portfólio de 195 milhões de m² geridos mundialmente. A LaSalle Investment Management, empresa da Jones Lang LaSalle a atuar na área de gestão de investimento, é uma das maiores empresas mundiais do sector, gerindo um dos leques mais diversificados de capitais imobiliários e sendo responsável pela gestão de uma carteira de ativos avaliada em mais de 47,2 mil milhões de dólares. Presente em Portugal desde 1997, a Jones Lang LaSalle conta com uma equipa pluridisciplinar composta por 55 profissionais, desenvolvendo a sua atividade nos mercados de escritórios e retalho, nas áreas de agência, investimento, corporate solutions, consultoria e avaliações, gestão, arquitetura e research.