Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint Janeiro 2013

De acordo com os dados mais recentes do Office Flashpoint da Jones Lang LaSalle, o mercado de escritórios de Lisboa registou um início de ano pouco dinâmico.


​A consultora revela que a atividade no mercado de escritórios em janeiro de 2013 totalizou os 1.382 m² de absorção, um volume que ficou 153% abaixo da performance registada em igual mês do ano passado (3.506 m²).

No total, foram realizadas 9 operações, com uma área média de 154 m² , com o maior arrendamento –a colocação da Nova Ouriense no Edifício Duque D’Ávila 46 -  a totalizar os 324 m², o que evidencia a continuação da tendência de mercado para a tomada de espaços de menor dimensão.

A Jones Lang LaSalle foi responsável pela concretização de 7 destas novas operações, numa área total agregada de 1.077 m², o que equivale a 78% da área tomada no mercado em janeiro.

O setor da “Construção e Imobiliário”, com cerca de 40% da área ocupada (553 m²), foi o mais dinâmico no primeiro mês do ano, seguindo-se as empresas da área de “Farmacêuticas & Saúde”, que foi responsável por 28,8% da área arrendada neste mês.

Em termos de zonas, a Zona 5 – Parque das Nações – foi aquela que registou maior atividade, com 885 m² (64%) arrendados nesta zona. A zona 2 – Eixo Saldanha, Entrecampos, Amoreiras – esteve também em destaque no mês, com 23% da ocupação de escritórios

Mariana Seabra, Diretora do Departamento de Office Agency & Corporate Solutions, sublinha: “A atividade do mercado em janeiro espelha o atual clima de confiança do tecido empresarial bem como a contração da atividade económica, assistindo-se a uma absorção pouco dinâmica. Além disso, à  semelhança do que aconteceu nos últimos dois anos, continuamos a assistir ao aumento da procura por áreas de menor dimensão, com as áreas médias transaccionadas a contraírem. Regista-se ainda uma crescente procura por parte de start ups, tendência que resulta, em parte, do aumento da taxa de desemprego e que tem encontrado resposta no desenvolvimento de Business Centers”.

Recorde-se que a absorção anual de escritórios em 2012 acabou por ficar acima das expectativas iniciais, com um total de 102.000 m²  arrendados, uma performance que representou um crescimento de 16% face à atividade registada em 2011.