Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa - Londres

Investimento directo em Imobiliário terciário na Europa ascende a €12 biliões no 1º trimestre de 2009

Apesar do decréscimo no volume transaccionado, o mercado evidencia sinais de maior confiança


O investimento directo em imobiliário terciário na Europa ascendeu a €12 biliões no 1º trimestre deste ano, num decréscimo de 30% face ao trimestre anterior e de 70% face ao período homólogo, revelou a Jones Lang LaSalle no seu mais recente relatório de research. Os principais mercados da Europa Ocidental concentraram cerca de 95% deste volume, enquanto que os mercados da Europa Central e de Leste registaram uma actividade bastante reduzida.

Tony Horrell, Head da equipa europeia de Capital Markets da Jones Lang LaSalle, afirma: “No primeiro trimestre de 2009, foi notório o aumento de confiança do mercado e da oferta. Nos últimos três meses, os investidores procuraram activos de elevada qualidade e com retornos interessantes a longo-prazo. Contudo, denota-se uma escassez de produto prime de qualidade e, ao mesmo tempo, a definição aceite de activo prime estreitou-se consideravelmente. Neste período, as yields registaram subidas marginais em alguns mercados, mas permaneceram estáveis em muitos outros, tais como a City de Londres, Amesterdão, Frankfurt, Hamburgo, Munique e Paris. Este interesse genuíno de alguns investidores é um sinal positivo, mas apenas o tempo poderá dizer se negócios importantes serão concluídos nos próximos meses”.

No Reino Unido, os volumes de investimento directo em imobiliário terciário foram de €4,4 biliões no primeiro trimestre de 2009, uma ligeira subida (4%) face ao trimestre prévio e que assentou principalmente na actividade do mercado central de Londres. Na Alemanha, foram transaccionados €1,6 biliões nesse período, cerca de 50% abaixo do trimestre anterior, um resultado sobretudo influenciado pela postura de «wait and see» adoptada pelos investidores domésticos, que não foram forçados a realizar vendas, bem como pela falta da liquidez necessária para financiar operações de maior dimensão. A actividade de investimento na Europa Central e de Leste (incluindo a Rússia) foi limitada a poucas transacções no 1º trimestre de 2009, totalizando os €536 milhões.

Em Portugal, o volume de transacções de investimento em imobiliário terciário no primeiro trimestre de 2009 foi de €57 milhões, respeitante a duas operações, valor que representa um decréscimo de 33% face ao último trimestre de 2008 e de 83% face ao período homólogo.

Segundo Manuel Puig, Director Geral da Jones Lang LaSalle Portugal, “O mercado de investimento está a ser o sector mais fortemente afectado pela crise. A falta de liquidez, as dificuldades de financiamento e o desajustamento de preços à realidade de hoje, continuarão a ser factores marcantes ao longo de todo este ano. Contudo, é de prever que o decréscimo no volume de investimento seja menor comparativamente a 2008 devido à descida das taxas de juro e ao gradual ajustamento do preço dos imóveis”.