Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: Julho 2013

Desempenho do mercado de escritórios de Lisboa


​De acordo com os dados agora disponibilizados, o mercado de escritórios de Lisboa evidenciou uma recuperação nos meses de junho e julho, após ter registado quedas de performance nos meses de abril e maio. Assim, em junho, a atividade no mercado de escritórios​ atingiu os 6.064 m² de ocupação, mais 103% do que em maio e mais 31% do que em junho do ano passado. Já em julho, a absorção ascendeu a 9.090 m², a mais elevada de todo o ano. Neste mês, o crescimento mensal foi de 50%, enquanto que o homólogo (face a julho de 2012) foi de 140%.

As duas maiores operações realizadas no mês de julho dizem respeito à ocupação de 2.900 m² pela Schneider Electric e de 2.775 m² pela Astington Services, ambas em escritórios localizados no zona 6 (Corredor Oeste), enquanto que em junho, a operação de maior dimensão foi fechada na zona 3, nomeadamente o arrendamento de 934 m² nas Torres de Lisboa, pela Mazrs. A zona 6 foi a mais dinâmica em ambos os meses, concentrando 45% da atividade de arrendamento em junho e cerca de 63% em julho. 

Em termos acumulados, e apesar da boa performance dos meses de Verão já analisados, o ano continua a exibir um desempenho abaixo de 2012, com os primeiros sete meses de 2013 a totalizarem uma absorção de 34.983 m², menos 12% do que os 39.811 m² arrendados em igual período de 2012. Neste período, a Jones Lang LaSalle confirmou o seu dinamismo na área de escritórios, mantendo a liderança com uma quota de 23% do total da área arrendada no mercado. Do total absorvido pelo mercado entre janeiro e julho, 8.093 m² foram arrendados com intervenção da Jones Lang LaSalle.

O Corredor Oeste (zona 6) foi a zona mais dinâmica até ao final do Julho, com 10.849 m² arrendados, o que equivale a 31% do total transacionado no mercado. Seguem-se as zonas do Parque das Nações (zona 5) e o Prime CBD (zona 1 – eixo Avenida da Liberdade – Saldanha), com um peso de 21% (7.233m²) e 16% (5.559 m²), respetivamente.

Em termos de procura, durante os primeiros sete meses de 2013, as empresas da área “Serviços Empresas” foram as mais ativas, com 27% da ocupação do mercado (9.432 m²), seguindo-se as empresas de “TMT’s & Utilities”, com uma quota de 17% (5.802 m²), e as de “Produtos de Consumo”, com 13% (4.468 m²).