Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: Fevereiro 2014

Desempenho do mercado de escritórios de Lisboa.


​De acordo com a análise da JLL, o mercado tem estado especialmente animado neste início de ano, com os dois primeiros meses a apresentarem uma absorção de 10.891 m², cerca de 65% acima da área ocupada nos mesmos meses do ano passado.

Da absorção registada em janeiro e fevereiro de 2014, cerca de 60% diz respeito à ocupação de nova área, medida quer pela entrada de novas empresas em Lisboa quer pela expansão de área ocupada, um peso bastante superior ao verificado em 2013, quando, em média, só cerca de 38% da ocupação foi gerada por esta via.

No mês de fevereiro, foram ocupados 6.712 m² de escritórios, dos quais 3.608 m² localizados no Parque das Nações, que foi a zona mais dinâmica neste mês. Face a janeiro, a ocupação de escritórios em Lisboa aumentou 64%, enquanto que em termos homólogos (face a fevereiro de 2013, com uma absorção de 5.217 m²) esse crescimento foi de 77%. Neste mês, as empresas de IT e as empresas prestadoras de “serviços a empresas” foram as mais dinâmicas, garantindo, respetivamente, 30% e 22% do arrendamento registado. No que respeita a origem dos arrendamentos em fevereiro, cerca de 55% da área foi ocupada por empresas que entraram em Lisboa ou que expandiram área.

Em janeiro, a ocupação de escritórios em Lisboa ascendeu a 4.118 m², um volume quase três vezes superior aos 1.382 m² absorvidos no mesmo mês de 2013. No entanto, face ao mês anterior, a nota foi de queda (-75%), mas importa sublinhar que dezembro é, por norma, um dos meses mais dinâmicos no ano. O Corredor Oeste (zona 6) e o Parque das Nações (zona 5) foram as zonas com maior atividade neste mês, com 37% e 28% da área arrendada, respetivamente. A zona 4 (área Histórica de Lisboa) evidenciou-se também neste mês, na 3ª posição, em resultado das 5 operações concluídas no Central Station, um edifício que está ser comercializado pela JLL. Tal como em fevereiro, as empresas de IT estiveram entre as principais ocupantes (30% da absorção). De destacar ainda que, em janeiro, 69% da absorção foi referente a nova área ocupada, quer pela entrada de novas empresas quer pela expansão de área.

Mariana Seabra, Diretora do Departamento de Office Agency e Corporate Solutions da JLL, considera que “o mercado de escritórios começa a refletir a evolução positiva da conjuntura económica sentida desde o Verão do ano passado. Estamos confiantes de que 2013 foi o final do ciclo de queda da atividade do mercado iniciado em 2009, e que este ano marcará a inversão dessa tendência, com as empresas a retomarem os seus planos de expansão de área, deixados em stand by nos últimos anos, e também menos pressionadas pela contenção de custos”.