Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Jones Lang LaSalle: Investimento Imobiliário Global fortaleceu-se em 2011


• Os volumes preliminares apurados foram de $400 mil milhões, mais 25% do que em 2010 • O volume de investimento no 4º trimestre cresceu 3% face ao trimestre anterior • O último trimestre de 2011 foi o segundo do ano a registar volumes de investimento trimestrais superiores a $ 100 mil milhões • Face ao 4º trimestre de 2010, as transações caíram 10% no 4º trimestre de 2011 • O investimento imobiliário em 2012 deverá ser nivelado com o volume de transações de 2011, embora com risco potencial de descida
Os números preliminares do relatório Global Capital Flows 2011 da Jones Lang LaSalle, revelam que mais de $400 mil milhões foram investidos, de forma direta, em imobiliário terciário em 2011 em todo o mundo, num crescimento de 25% face ao ano anterior.

David Green-Morgan, Global Capital Markets Research Director na Jones Lang LaSalle, comenta: “Apesar dos inúmeros reveses económicos quer nos países, quer em termos regionais e mesmo globais, o imobiliário terciário continuou a atrair capital dos investidores que procuram oportunidades não apenas nos seus mercados domésticos, mas também nas suas regiões e noutras regiões a nível global”.

No 4º trimestre de 2011, os volumes de investimento imobiliário global cresceram 3% face ao trimestre anterior, fixando-se nos $102 mil milhões, sendo este trimestre o terceiro nos últimos três anos a registar níveis de investimento superiores a $100 mil milhões. Face ao trimestre homólogo, contudo, as transações de investimento imobiliário desceram 10% no último trimestre de 2011.

“O crédito, em todas as suas formas, a desalavancagem, a estabilidade bancária e os movimentos cambiais continuarão a dominar as perspectivas económicas para 2012, à semelhança do que aconteceu em 2011”, diz Arthur de Haast, Head do International Capital Group na Jones Lang LaSalle. E acrescenta: “o clima de confiança e as perspectivas económicas para a Europa fazem antever que enfrentaremos um ano bastante difícil, apesar de, em particular no Continente Americano, a confiança parecer estar de regresso, impulsionada pela melhoria dos indicadores económicos, e a região Ásia-Pacífico parecer estar posicionada para continuar o seu caminho de crescimento”.

David Green-Morgan continua: ”Em 2011, observamos um crescimento de 25% na atividade transacional, com o Continente Americano a crescer cerca de 60% e a região EMEA a crescer 16% (em dólares norte-americanos). Na Ásia-Pacífico, apesar das catástrofes naturais que assolaram a região, os níveis de atividade em 2011 mantiveram-se muito similares aos de 2010, ano em que esta região registou uma forte perfomance”.

Arthur de Haast, concluiu: “A crescente desalavancagem da banca comercial terá efeitos quer de incentivo quer de desincentivo no mercado de investimento imobiliário, contudo, edifícios de boa qualidade, com bons inquilinos, nas principais cidades do mundo, continuam a ser uma classe de ativos atrativa para muitos investidores de longo prazo”.

A Jones Lang LaSalle prevê que os volumes de investimento imobiliário em 2012 se mantenham nivelados com os registados em 2011, embora os riscos potenciais advindos da crise das dívidas soberanas da Zona Euro possam ter um efeito expressivo nos volumes de transação.


- ends -
 
Nota aos Editores:

Tabela: Investimento directo em imobiliário terciário a nível global – 2004 a 2011 (em $ mil milhões)

Ano

Continente

Americano

EMEA

Ásia-PAcífico

Total

2004

185

162

46

393

2005

216

212

67

495

2006

283

322

95

700

2007

304

334

121

758

2008

126

167

86

378

2009

45

98

66

210

2010

97

136

85

321

2011

(prelim)

155

161

84

400

 
As análises de Global Capital Flows da Jones Lang LaSalle disponibilizam um conjunto de dados gerados para auxiliar os investidores na compreensão de como o mercado de investimento imobiliário está a comportar-se em todo o mundo. As conclusões são divulgadas trimestralmente, primeiro numa análise dos volumes de transação em forma de press release (como o atual) e posteriormente num relatório trimestral mais abrangente que será lançado nas semanas seguintes. Todos os dados atuais de Global Capital Flows podem ser encontrados num sitio de internet interativo que se posiciona também como um portal para os meios de comunicação e para os clientes no acesso aos dados de research da Jones Lang LaSalle na área de Global Capital Markets, disponível em www.joneslanglasallesites.com/gcf.
1. Investimento Intra-Regional – Verifica-se quando quer o comprador quer o vendedor são oriundos da região na qual o ativo se localiza. Por exemplo, um REIT norte-americano a fazer aquisições no Canadá, ou um fundo Alemão a vender no Reino Unido.
2. Investimento Inter-Regional: Verifica-se quando o comprador, vendedor ou ambos são oriundos de uma região diferente na qual o ativo se localiza. Por exemplo, um REIT Norte-americano a comprar imobiliário na Dinamarca, ou um Fundo de Pensões Australiano a vender no Canadá.
3. Investimento Estrangeiro: Refere-se a qualquer comprador, vendedor ou a ambos que sejam oriundos de fora do país no qual a transação ocorre. Divide-se entre operações Inter-regionais e Intrarregionais.
4. Investimento Doméstico: Refere-se a qualquer investidor oriundo do país em que a transação ocorre. Transações que envolvam compradores e vendedores domésticos são referidas como atividade doméstica
5. Transações realizadas em circuito fechado (i.e. que não são abertas ao mercado), projetos de promoção e investimento residencial são excluídos dos dados analisados.
6. A Jones Lang LaSalle converte os valores de transação em dólares norte-americanos ($) à média diária do trimestre no qual ocorreu a transação, pelo que o efeito da taxa de câmbio não foi eliminado.
7. Os Fundos Globais são aqueles que alocam capital nas diversas regiões.