Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Londres - Lisboa

Mudanças contabilísticas no âmbito do arrendamento: Empresas poderão sofrer impacto financeiro profundo

Jones Lang LaSalle divulga Perspectives on Operating Leases


No seu recente documento Perspectives on Operating Leases, a Jones Lang LaSalle Corporate Finance destaca o impacto profundo que as alterações propostas para as regras contabilísticas no âmbito do arrendamento podem vir a ter nos ocupantes corporativos. De acordo com estas propostas, a figura do arrendamento tal como a conhecemos hoje desaparecerá e todos os contratos deverão ser considerados no balanço das empresas. Nenhum contrato será excluído, incluindo os assinados previamente às alterações. Com base nestas mudanças, a Jones Lang LaSalle estima que o peso da dívida de um quarto das empresas cotadas no índice FTSE possa mais do que duplicar.

As novas regras impõem que todos os imóveis alvo de arrendamento sejam incluídos no balanço, pressupondo-se que o direito de utilizar uma propriedade por um determinado período de tempo, ao abrigo de um contrato de arrendamento, seja considerado um activo da empresa e que o pagamento das rendas seja um passivo. Para efeitos contabilísticos, o pagamento das rendas será dividido entre capital amortizado e juros (tal como num financiamento), para que o custo no balanço perdas/proveitos seja mais elevado nos primeiros anos do contrato de arrendamento.

Michael Evans, Director da Jones Lang LaSalle Corporate Finance, afirma: “Se estas propostas forem efectivamente adoptadas, mudarão a forma como as empresas olham para as suas propriedades imobiliárias. Irão com certeza inflacionar os activos e os passivos, afectar as taxas de perdas/proveitos, impactar as medidas-chave de performance, incluindo os rácios de financiamento dos inquilinos, e mudar a forma como as empresas apresentam os seus relatórios financeiros”.

E acrescenta: “a decisão de deter vs arrendar passará a ser sobretudo comercial e menos focada em parâmetros económicos, porque o imóvel será reconhecido no balanço da empresa, seja detido ou arrendado. Podemos começar a ver empresas ocupantes a considerar comprar as suas propriedades arrendadas, se tiverem capital para o fazer”.
Michael Evans conclui: “Se estas alterações vierem a concretizar-se, terão um impacto negativo nas empresas porque irão afectar os seus proveitos. Da mesma forma, também criarão um fardo administrativo adicional. Contudo, deverão ser boas notícias para os investidores e para os analistas, porque haverá maior transparência nos relatórios financeiros”.

Nota aos Editores

O International Accounting Standards Board (IASB) e o seu homónimo norte-americano The Financial Accounting Standards Board (FASB) divulgaram em Maio de 2009 um documento de discussão, destacando propostas de alterações profundas no que se refere aos princípios contabilísticos no âmbito do arrendamento. Um standard final deverá ser anunciado em 2011 com data possível de efectividade a partir de 2012 ou 2013. A discussão pública sobre este documento deverá ter início em Julho de 2009.