Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Investimento em imobiliário de retalho na Europa cresce para €9,6 mil milhões no 2º trimestre de 2014

Transações emblemáticas e um foco geográfico mais abrangente impulsionaram o crescimento de 86% no volume transacionado face ao 2º trimestre de 2013. Volumes anuais deverão superar os €30 mil milhões


​A JLL revela que o 2º trimestre do ano foi bastante forte para o investimento em imobiliário de retalho na Europa, com os volumes transacionados no período a ascenderem a €9,6 mil milhões, mais 86% do que os €5,2 mil milhões investidos no 2º trimestre do ano passado. Com este resultado, o volume semestral totaliza agora €16,4 mil milhões e está 44% acima da primeira metade de 2013 e 35% acima da média dos primeiros semestres nos últimos cinco anos.

O 2º trimestre foi marcado por diversas transações emblemáticas nas cidades de Londres e Paris. A operação de maior dimensão foi a compra por €805 milhões (£656 milhões) de uma participação de 30% no complexo comercial Bluewater, em Kent, pela Land Securities. O negócio incluiu ainda outros €49 milhões (£40 milhões) pelos direitos de gestão da totalidade do ativo e pelos 44 hectares de terreno circundante, estando o complexo avaliado em cerca de €2,7 mil milhões (cerca de £2,2 mil milhões). Em Paris, um consórcio de investidores privados reunidos através da Fonciere Apsys adquiriu o centro comercial Beaugrenelle por um preço de cerca de €700 milhões. Estas duas operações ilustram a crescente apetência por empreendimentos comerciais emblemáticos e de grande dimensão nas principais cidades Europeias, que beneficiam de indicadores económicos locais fortes, resultando, em parte de uma crescente urbanidade, que está a aumentar as populações e áreas de influência em cidades de todo o mundo. As perspetivas para este tipo de produto emblemático na Europa continuam positivas, uma realidade que é visível no mercado de investimento, com cerca de 20 empreendimentos acima dos €400 milhões a serem transacionados na Europa (venda direta ou de participações) desde a crise financeira.

Adrian Peachey, Head de Retail Capital Markets do Reino Unido, comenta que “a procura dos investidores pelo Bluewater foi muito elevada, com cerca de dez entidades a revelarem um interesse concreto. O yield reportado de 4,1% reflete a atratividade do ativo no mercado e o considerável valor adicional associado à gestão da totalidade do imóvel. Os investidores estão a comprar níveis crescentes de segurança quando investem neste tipo de produto. A combinação de “fundamentals” económicos locais fortes, conectividade, diversidade, vitalidade e identidade com a gestão dinâmica e pró-ativa contribuem para a resiliência do Bluewater”.

Geograficamente, os ativos dos mercados líquidos e de grande dimensão do Reino Unido, Alemanha e França continuam a liderar a procura. Estes três mercados, em conjunto, contabilizaram mais de 70% do total do volume transacionado no trimestre. Contudo, adicionalmente a este foco nos mercados core, observou-se também um contínuo alargamento dos alvos geográficos para o investimento, uma tendência que esteve em evidência nos últimos trimestres. Em particular, os sinais de recuperação económica e de uma crescente melhoria da confiança dos consumidores nos mercados em recuperação da Itália e Espanha despertaram um interesse significativo nos investidores e também dinamizaram a atividade, especialmente à medida que alguns investidores estão cada vez mais a procurar valor fora dos mercados core. Espanha registou o crescimento anual mais significativo na primeira metade de 2014, seguida da Hungria e da Irlanda.

David Brown, da área de Retail Capital Markets em Espanha, acrescenta: “No 1º semestre, o volume de investimento em imobiliário de retalho em Espanha esteve perto de mil milhões de euros, mais que duplicando o volume anual total de 2013, refletindo a reação dos proprietários aos elevados níveis de procura por parte dos investidores, acabando por aproveitar a oportunidade para colocar os seus ativos em oferta no mercado. Estão, entretanto, em oferta transações de mais de €650 milhões e a confiança dos investidores cresceu ao longo do ano à medida que os sinais de uma clara tendência de aumento das vendas no centros comerciais prime e secundários de qualidade impulsionou o sentimento positivo dos investidores e também influenciou positivamente os preços. Com mais €750 milhões de negócios no mercado, ou que deverão surgir no mercado em setembro, esperamos um segundo semestre muito dinâmico e as expectativas são para que o volume total de investimento em imobiliário de retalho em Espanha possa esperar os €2 mil milhões pela primeira vez desde 2006”.

Em termos de perspetivas futuras, dada a melhoria do sentimento económico, o contínuo aumento dos fluxos de capital e do número de transações em pipeline, a JLL acredita que os volumes de investimento em imobiliário de retalho na Europa superem os €30 mil milhões em 2014, tal como previsto no início do ano no European Retail Investment Market Review, e potencialmente registar o maior volume desde 2011.