Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: Julho/Agosto de 2014


​O ritmo de crescimento da atividade de ocupação de escritórios nos primeiros oito meses de 2014 mantém-se elevado, com a absorção acumulada 50% acima do mesmo período de 2013. Até final de agosto foram arrendados 54.157 m² de escritórios em Lisboa, bastante acima dos 36.162 m² tomados nos primeiros oito meses do ano passado.

Para Mariana Seabra, Diretora de Office Agency e Corporate Solutions da JLL, “por um lado, este forte crescimento era expectável, uma vez que os níveis de absorção registados ao longo de 2013, especialmente na primeira metade do ano, se fixaram em patamares bastante baixos. Por outro, também a melhoria da conjuntura económica e da confiança das empresas têm contribuído para a evolução positiva do mercado”.

Durante os primeiros oito meses de 2014, as empresas preferiram as zonas do Corredor Oeste (Zona 6), CBD (Zona 2) e Parque das Nações (Zona 5), as quais concentraram, respetivamente, 28%, 25% e 21% da atividade ocupacional de escritórios em Lisboa. A procura foi dominada pelas empresas que atuam no setor “Serviços a Empresas”, responsáveis por 26% de toda a área ocupada entre janeiro e agosto, seguindo-se as empresas de “TMT’s e Utilities”, com 19%. Do total da área arrendada no período acumulado, 62% diz respeito à mudança para outras instalações e os restantes 38% à expansão de área ou entrada de novas empresas no mercado.

No que respeita o mês de agosto, foram arrendados 7.800 m² de escritórios em Lisboa, quadruplicando a área arrendada em agosto do ano passado (1.559 m²) e apresentando uma subida de 46% face aos 5.338 m² registados em julho deste ano. O Corredor Oeste (Zona 6) dominou a atividade em agosto (49%), tal como tinha acontecido em julho (69%). Por parte da procura, foram as empresas de “Serviços a Empresas” (41%) e de “TMT’s e Utilities” (23%) as mais dinâmicas em agosto, mês em que 90% da atividade foi gerada pela mudança de instalações.

Os dados da JLL revelam ainda que em julho a absorção havia recuado quer em termos mensais (-37%) quer em termos homólogos (-41%). Neste mês, as empresas de “TMT’s e Utilities” dominaram também a atividade no mercado, com 46% da ocupação. Refira-se ainda que 57% da atividade foi gerada pela expansão de área ou pela entrada de novas empresas no mercado, contra os 43% respeitantes à mudança de instalações.