Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

JLL regista melhor ano de sempre em Portugal

Recuperação do mercado imobiliário impulsiona resultados de 2014, com crescimento assinalável das áreas transaccionais


A JLL Portugal anunciou ontem os resultados da sua atividade em 2014, ano que encerrou como o melhor de sempre da consultora no nosso país. Impulsionado pela recuperação do mercado imobiliário, o volume de negócios da consultora registou um crescimento de 65% face a 2013.

“O mercado imobiliário português deu a volta em 2014, invertendo o ciclo de queda dos últimos anos e com uma verdadeira recuperação quer no investimento quer na ocupação de escritórios e retalho. Esta nova conjuntura, associada à solidez do nosso negócio e à capacidade e resiliência da nossa equipa nos anos mais adversos, permitiu-nos atingir os melhores resultados de sempre em Portugal”, comenta Pedro Lancastre, diretor geral da JLL Portugal.

Ainda de acordo com o responsável da consultora, “os Departamentos das áreas transacionais foram os que mais contribuíram para estes resultados, tendo em conta a sua relação direta com os níveis de atividade sentidos no próprio mercado. Contudo, também as áreas não transacionais registaram um desempenho de destacar, com alguns departamentos a observarem crescimentos recorde como é o caso das avaliações”.

O Departamento de Capital Markets foi um dos que mais contribuiu para o crescimento da JLL em 2014, intervindo ao longo do ano em 19 operações no valor  €345 milhões. Este volume traduz uma evolução muito significativa face ao ano anterior, refletindo o crescimento do próprio mercado de investimento, que recuperou em 2014 para níveis alcançados em 2008. A JLL este envolvida em algumas das mais importantes operações realizadas em Portugal no ano passado, incluindo a venda de um portefólio de imóveis de retalho e logística detido pela ESAF; a transacção referente ao portefólio da EDP no Marquês de Pombal, na qual representou o comprador; e a venda de um portefólio de supermercados arrendados a uma cadeia de supermercados, uma aquisição concretizada por um fundo francês. Escritórios, retalho, industrial, habitação, terrenos e imóveis para reabilitação estiveram entre os ativos transacionados pela consultora, que acompanhou sete operações concretizadas na zona Prime de Lisboa, incluindo três na Avenida da Liberdade.

A atividade do Departamento de Retail Leasing foi também um bom reflexo da retoma do mercado imobiliário, registando em 2014 um aumento de 49,3% na área comercial colocada. Em 2014, este Departamento arrendou 40.905 m², dos quais 13.309 m² em comércio de rua e os restantes 27.596 m² em centros comerciais. No comércio de rua, a consultora foi responsável pelo arrendamento de lojas para a Mango, Pinko, Honorato, Adidas, Guess, Fendi Casa Collection, Burger King, Viva, entre outros. Já nos centros comerciais, colocou marcas como a Toys’R’Us, Fnac, Sephora, Sportsdirect, Tiger, Tiffosi, e diversas marcas do Grupo Inditex, entre muitas outras, em espaços de norte a sul do país. Este departamento teve a cargo a comercialização do Alegro Setúbal, o único centro comercial que inaugurou em 2014, sendo atualmente responsável pela comercialização ou recomercialização de espaços em projetos como o que está a ser desenvolvido pelo IKEA Centres, em Loulé ou o MAR Shopping, este último já aberto ao público e o primeiro um dos únicos projetos atualmente em pipeline.

No Departamento de Office Agency e Corporate Solutions o balanço do ano também é positivo, com mais de 36.881 m² de escritórios intervencionados, quer por via da área de agência quer de mandatos corporativos, um volume que representa um aumento de cerca de 45,3% face à área intervencionada em 2013. Deste volume, 14.211 m² dizem respeito a renegociação de contratos de arrendamento, área na qual a consultora esteve também muito ativa. A Sata, a Grunenthal, a Prime IT ou a Bene Farma foram algumas empresas colocadas pela JLL em 2014 no âmbito da atividade de agência, enquanto que na área corporativa se incluem clientes como a Cap Gemini, o Deutsche Bank, o BNP Paribas, a Nestlé, Credit Suisse, Fujitsu, SAP, Volvo, entre outros, para quem a consultora atuou na selecção, renegociação e arrendamento de instalações. O departamento encerrou o ano com um total de 36 edifícios de escritórios em comercialização, respeitantes a 66.262 m², tendo conquistado em 2014 o mandato para a comercialização exclusiva dos edifícios ainda ocupados pela EDP no Marquês de Pombal.

Nas áreas não transacionáveis, o Departamento de Avaliações foi um dos que mais cresceu, destacando-se igualmente nas contas da empresa. O volume de negócios gerado neste Departamento cresceu 76% face a 2013, tendo envolvido a avaliação de 47 milhões de m² de imóveis que representam um valor de mercado na ordem dos 6,7 mil milhões de euros. A realização de avaliações no âmbito de transações de investimento foi uma das linhas de negócio que mais impulsionou esta boa performance.

Também a Gestão de Imóveis registou um percurso de crescimento em 2014, aumentando em 30% o portefólio de imóveis sob gestão, que encerrou o ano em mais de 360 mil m². Em 2014, este Departamento conquistou seis novos projetos no total de 110.000 m², incluindo o mandato para a gestão do portefólio de quatro edifícios no Marquês de Pombal, o Palácio Sottomayor, o edifício Heron Castilho e a Plataforma Logística da Azambuja. No total, a consultora é agora responsável por gerir 25 projetos, incluindo 11 de retalho, 10 de escritórios, 3 industriais e ainda um de uso residencial turístico.

O Departamento de Development Solutions, que oferece serviços nas áreas de consultoria estratégica e gestão de projectos foi também um dos que mais cresceu em 2014, tendo duplicado o seu volume de negócios. O ano de 2014 ficou marcado por uma forte atividade, quer em termos de consultoria que em termos de gestão de projectos. A primeira foi impulsionada não só pela retoma que começou a evidenciar-se na segunda metade de 2013 e que se refletiu no número de pedidos de assessoria estratégica por parte dos investidores e promotores, mas também porque os anos de crise elevaram os níveis de prudência destes players, que necessitam cada vez mais de uma boa base de fundamentação para sustentar os seus investimentos. A área da gestão de projetos, iniciada apenas em 2014 pela consultora em Portugal, registou igualmente uma boa performance em virtude da forte dinâmica da reabilitação de edifícios no centro de Lisboa. Sendo uma das fortes apostas para 2015, a JLL espera manter a trajectória de crescimento que tem vindo a registar.

2014 foi também ano de consolidação e novidades para a área de arquitetura e obra, na qual a JLL está presente através da sua empresa Tétris. Este negócio foi um dos que mais cresceu nos últimos anos e continuou esse percurso em 2014, concluindo 57 obras para marcas e empresas de referência como a Volvo, SAP, Mango, Regus, Euroscrip, NEC e Honeywell. A empresa está fortemente apostada na consolidação dos seus serviços e em aumentar a sua capacidade de resposta em múltiplos setores, tendo adquirido recentemente a empresa Novo Interior, que tem focado a sua atividade no mercado de retalho, incluindo o segmento de luxo. A integração da Novo Interior na equipa da Tétris permitirá alcançar uma posição de liderança no mercado nacional em termos de space planning, fit-out e obra em projetos nas áreas de imobiliário comercial, assumindo ainda um forte potencial para fazer crescer a área de retalho da Tétris em toda a Europa.

Em relação a 2015, Pedro Lancastre sublinha que “a perspetiva é otimista, tendo em conta que os mercados de investimento e ocupação deverão continuar o percurso de crescimento iniciado em finais de 2013 e definitivamente confirmado o ano passado. Mantendo-se esta tendência, o próprio mercado gera mais negócio e claro que queremos consolidar-nos no acompanhamento dessa atividade através das áreas em que já temos presença, mas não só. A nossa estratégia passa também pela diversificação, começando a prestar serviços em novos segmentos, como é o caso da reabilitação urbana e do residencial”. 

De facto, uma das apostas da JLL para 2015 é o lançamento do Departamento Residencial que pretende ser uma solução para promotores e investidores que querem colocar os seus projetos residenciais junto de compradores nacionais e internacionais, neste último caso capitalizando a rede global da JLL. Esta área de atividade irá não só criar plataformas de comercialização que promovam o produto e dinamizem os canais de venda junto de potenciais clientes, mas também criar valor através da prestação de serviços nas áreas da consultoria e marketing, com o objetivo de apoiar os clientes na definição, posicionamento e divulgação dos seus produtos imobiliários residenciais.​