Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Diversificação geográfica ajuda a impulsionar crescimento de 28% no investimento em imobiliário de retalho na Europa, diz a JLL


  • Transações de investimento em imobiliário de retalho na Europa crescem 28% para os €26 mil milhões no 1º semestre de 2015
  • Todas as regiões com dinâmica nas transações
  • Investidores globais procuram estabelecer parcerias
  • Espera-se mais negócios “troféu” em 2016

O crescimento do investimento no segmento de imobiliário de retalho fora dos sete maiores mercados (Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Holanda, Finlândia e Suécia) ajudou a impulsionar o volume de transações na Europa no 1º semestre de 2015 para os €26 mil milhões, mais 28% do que no mesmo período de 2014, de acordo com os últimos dados avançados pela JLL.

“Estamos a assistir a um forte crescimento no mercado de investimento de retalho, o que muito se deve ao facto de todas as regiões estarem a transacionar. Mercados como a Finlândia, Portugal e a República Checa têm um peso muito maior nas transações deste 1º semestre em comparação com o mesmo período de 2014, e também uma maior presença nos dez grandes negócios do ano até agora. Estes mercados estão a ter um impacto muito significativo nos números finais”, disse, Jeremy Eddy, Diretor Internacional de Retail Capital Markets na JLL.

Em Portugal, o investimento em imobiliário de retalho no 1º semestre de 2015 totalizou perto de €650 milhões, o que equivale a aproximadamente 70% do total do capital investido em imobiliário comercial* neste período (€925 milhões). Os investidores em retalho direcionaram a procura para diversos tipos de ativos, incluindo centros comerciais, supermercados e lojas de rua. Entre as operações de maior destaque realizadas no mercado português nos primeiros seis meses do ano evidenciam-se a venda dos centros comerciais Fórum Montijo e Fórum Almada, integrados na transação de um portefólio que envolveu ativos em vários mercados internacionais; a venda de um portefólio de 12 supermercados ocupados pelo Continente; bem como de dois outros supermercados de referência desta cadeia, nomeadamente em Portimão e no Centro Comercial Colombo. No comércio de rua, a atividade de investimento esteve também dinâmica, com pelo menos sete lojas transacionadas nas principais zonas comerciais de Lisboa nesta primeira metade do ano. À exceção do portefólio de 12 unidades Continente, todos os ativos de retalho transacionados em Portugal no 1º semestre foram comprados por estrangeiros, um fator que contribuiu também para a compressão das yields quer nos centros comerciais quer no segmento de rua.

Fernando Ferreira, Diretor de Capital Markets da JLL Portugal, comenta: “A atividade do 1º semestre de 2015 permite-nos afirmar com alguma segurança que o investimento em imobiliário de retalho em Portugal caminha para volumes históricos e que este segmento continuará a atrair investidores em 2016. Na origem desta boa performance estão as melhorias da situação económica do país e o consequente aumento dos níveis de consumo, factores que influenciam muito os investidores neste segmento. A alavancar os volumes de investimento está também a melhoria da performance dos retalhistas nos centros comerciais e nos formatos de retalho em geral, incluindo no comércio de rua, o qual deverá continuar a captar investimento para este sector impulsionado por um crescimento consistente”.

Na região EMEA, a venda do portefólio de centros comerciais da Klepierre ao REIT holandês Wereldhave foi o maior negócio de 2015 até agora. E, contrariamente a 2014, o 1º semestre de 2015 tem sido palco de um número limitado de negócios de grande dimensão na região, com menos operações de mil milhões de euros a realizarem-se.

Os compradores, principalmente os fundos, chegam de toda a parte do mundo, particularmente dos Estados Unidos, com a Blackstone a liderar o grupo. A África do Sul está também a emergir como uma forte fonte de capital.

Contudo, Jeremy Eddy explica que não é apenas capital que os investidores pretendem. “Os investidores procuram, cada vez mais, uma forma de entrar no mercado, e estão atualmente a fazê-lo quer através da compra de sociedades quer de operações de fusões e aquisições. Mas são muitos mais os que procuram estabelecer parcerias com entidades capitalizadas ou com forte experiência. Há uma vaga de joint-ventures e de fundos apoiados por capital internacional e que procuram ativamente os gestores e os operadores mais adequados para estabelecer parceiras”.

Olhando para a segunda metade do ano, Jeremy Eddy espera que as tendências atuais continuem a verificar-se, mas também espera ver mais negócios “troféu” no comércio de rua. “Os consumidores estão novamente apaixonados pelo comércio de rua. As localizações de rua estão a tornar-se cada vez mais dinâmicas e as transações realizadas nos melhores locais com os melhores retalhistas estão a levar a que o investimento em lojas de rua seja um negócio seguro, sustentável e de longo-prazo. Contudo, são poucas as localizações com estas condições na Europa. Por exemplo, a Pontegadea, a empresa imobiliária do fundador da Inditex, Amancio Ortega, conseguiu concluir negócios com a Primark em Oxford Street e na Gran Via e tudo indica que podemos esperar ver mais negócios destes em 2016.”

- Ends –

* Inclui imóveis de retalho, escritórios e indústria/logística

Notas:
A JLL foi responsável por transações de €4,5 mil milhões no mercado de imobiliário de retalho na região EMEA durante o 1º semestre de 2015.

Os volumes de investimento apresentados incluem todos as transações de venda de centros comerciais, comércio de rua, armazéns de retalho, outlets e supermercados na Europa. A nossa análise exclui quer negócios realizados em circuito fechado (i.e que não são abertos ao mercado) quer operações de valor inferior a $5 milhões.

Alguns dos negócios recentes no mercado de investimento em retalho assessorados pela JLL, incluem:

Citycon disposes of non-core portfolio in Finland for €76 million
JLL advise Unibail-Rodamco SE on the sale of its 75% stake of Arkády Pankrác shopping centre to Atrium European Real Estate for €162m
JLL advises on €652m Nordic retail joint venture
JLL advise on largest single asset transaction ever in Finland
JLL advises Allianz Real Estate on the financing project of the Marineda shopping centre

Aceda ao nosso European Retail Investment Market, para mais informações sobre o mercado de investimento em imobiliário de retalho na Europa.