Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: Absorção de escritórios já superou a barreira dos 100.000 m²


​A um trimestre do fecho do ano, o nível de atividade no mercado de escritórios de Lisboa já superou a barreira dos 100.000 m². O Office Flashpoint da JLL apurou que, no acumulado entre janeiro e setembro de 2015, foram colocados 105.164 m² de espaço de escritórios em Lisboa, o que representa um crescimento de 37% face ao nível de atividade registado no final do 3º trimestre de 2014.

Em setembro foram ocupados 35.330 m² de escritórios em Lisboa, representando não só o volume mensal mais elevado desde o início do ano, como também um crescimento de 162% em relação a agosto e de 105% face ao mês homólogo de 2014. Pela sua dimensão, as operações de mudança de escritórios da EDP para a sua nova sede na avenida 24 de julho e a mudança de instalações do Banco de Portugal para o centro da cidade foram determinantes para este crescimento tão acentuado, conclui a JLL.

Numa análise trimestral, a JLL destaca também pela positiva o 3º trimestre, que registou um volume total de 54.388 m², tendo sido o mais ativo este ano e cuja performance representa um crescimento homólogo de 52%. Neste trimestre, a JLL alcançou uma quota de mercado de 34% e esteve envolvida na 2ª maior operação do mercado.

Office Flashpoint Analise mercado de escritorios de Lisboa

De acordo com o Office Flashpoint, a zona Histórica e Ribeirinha (Zona 4) foi a preferida pelas empresas em setembro, captando uma quota de 40% da área total transaccionada, embora uma vez mais esteja aqui patente o impacto da mudança da EDP, que passou a ocupar 13.900 m² na avenida 24 de julho. Da mesma forma, a transferência de cerca de 7.000 m² de escritórios do Banco de Portugal para a rua Castilho também foi determinante para que a Zona 1 (Prime CBD) reúna a segunda maior percentagem (21%) do volume total de absorção em setembro, seguida da Zona 3 (Zona Nova de Escritórios), com 12%.

No acumulado do ano, o Corredor Oeste mantém-se como o principal destino das empresas em 2015, com 20% do volume total de absorção, seguido do Parque das Nações (Zona 5) com 15%. Com quotas entre os 14% e os 13%, as restantes zonas analisadas pelo Office Flashpoint apresentam níveis de absorção muito semelhantes nestes primeiros nove meses do ano.

Analisando os setores de atividade mais ativos na absorção de espaços, destaque para o setor de TMT & Utilities, que liderou operações que garantiram a tomada de 45% do volume total mensal. Seguiu-se o setor de “Estado, Europa e Advogados”, com 26%. Segundo o Office Flashpoint da JLL, no acumulado do ano o setor mais ativo foi o de “Serviços a Empresas”, captando uma quota de 31% da área transacionada, seguido do de “TMT’s & Utilities” com 25%.

A JLL conclui ainda que a maioria das operações concretizadas em setembro corresponde a mudança de escritórios (75%), seguida da expansão de área (24%), confirmando a tendência que se observa no acumulado do ano (62% e 30%, respetivamente).