Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

JLL volta a crescer em Portugal com volume de negócios recorde em 2016

Com a aquisição da Cobertura a impulsionar o negócio de residencial e um crescimento consolidado em todas as restantes áreas de atividade, a empresa posiciona-se como a maior consultora imobiliária a operar no mercado nacional


​Prestes a assinalar duas décadas de atuação em Portugal, a consultora imobiliária JLL voltou a apresentar em 2016 os melhores resultados de sempre, aumentando em cerca de 35% o seu volume de negócios no nosso país. O crescimento foi visível em todas as áreas de negócio da empresa, que em Portugal se distingue pela sua capacidade em prestar um serviço 360º, cobrindo todos os segmentos (habitação, retalho, escritórios e hotelaria) nas mais diversas fases do ciclo imobiliário, com soluções que passam por agência, consultoria, gestão de imóveis, gestão de projeto, avaliação e arquitetura/construção. Acompanhando o bom momento do mercado imobiliário e com resultados sustentados quer através da expansão orgânica e alargamento da base de serviços quer por via de aquisições, a JLL Portugal está numa rota de crescimento acentuado desde 2014, tendo atualmente mais de 200 colaboradores e posicionando-se como a maior consultora imobiliária a operar em Portugal.

Pedro Lancastre, diretor geral da JLL, comenta os resultados da atividade em 2016: “Foi mais um ano excelente para a JLL, marcado pela aquisição da Cobertura e pela integração dos seus 45 colaboradores, à data da aquisição. Esta foi a segunda aquisição que concretizámos em dois anos, depois da compra da Novo Interior no final de 2014, o que nos tem permitido construir um percurso de forte crescimento, mas muito sustentado, superando resultados em cada ano.”

E acrescenta: “Temos hoje uma equipa com mais de 200 profissionais que tem crescido ao mesmo tempo que a nossa atividade expandiu, quer em volume de faturação quer em diversidade de serviços. A JLL opera atualmente com onze unidades de negócio em Portugal, que nos permitem ser a única consultora com soluções integradas para todo o setor imobiliário e todas estas áreas apresentaram crescimento em 2016. Destaca-se, de forma mais acentuada, em 2016, o crescimento nas áreas residencial, gestão de projeto e Tétris (que é a face da empresa para a arquitetura e construção de interiores), confirmando, como seria de esperar, as próprias tendências de mercado, onde o imobiliário residencial continua a dar cartas e a promoção imobiliária, sobretudo na reabilitação, está em alta”.

A JLL acaba também de anunciar os seus resultados globais para 2016, reportando um aumento de 14% nos proveitos para os $6,8 biliões. De acordo com a consultora, este crescimento foi impulsionado pela estratégia de aquisições e de crescimento orgânico. As áreas de Property & Facility Management e de Project & Development Services foram as que mais contribuíram para esta evolução positiva, mas a performance dos negócios de agência e investimento também se mantiveram robustos, apesar da descida dos volumes transacionados nos mercados.

RESULTADOS DA ATIVIDADE DA JLL EM 2016

Capital Markets (investimento)

Em 2016, a JLL assessorou negócios de investimento em imobiliário comercial no valor de 146 milhões de euros, garantindo uma quota de 11,7% neste mercado, onde o volume transacionado ascendeu a 1.245 milhões de euros. Os negócios acompanhados pela consultora incluíram a transação de escritórios (segmento mais representativo), lojas de rua, retail parks e imobiliário industrial/logístico, entre os quais a venda da sede da NOS, em Lisboa, e de outros edifícios de escritórios também na capital, como o Camilo Castelo Branco 43, a componente de escritórios do Picoas Plaza, ou o edifício Tejo. No retalho, a JLL atuou na venda do Coimbra Retail Park, entre outros ativos de comércio em formato de rua. Em 2017, esta área antecipa o reforço da atividade tendo em conta o pipeline de negócios que transitaram do ano passado e que se espera sejam concluídos este ano.

Development Solutions

Autonomizado como área de negócio independente em 2016, este departamento assessorou diversas transações para o desenvolvimento de projetos, quer de promoção nova quer de reabilitação, embora este último segmento continue a ser o que proporciona maior volume de atividade, com especial concentração no setor residencial. No total, esta área assessorou a transação de um volume de 50 milhões de euros, incluindo as operações de compra/venda de imóveis para posterior renovação, como a sede do Diário de Noticias, na avenida da Liberdade; os edifícios Infante Santo 76, Duque de Loulé 60 ou Rua de São Nicolau 120.

Escritórios

Com atuação nas áreas de agência e corporate solutions, esta linha de negócio atuou sobre uma área total de 38.138 m² de escritórios, dos quais cerca de 33,5% dizem respeito a negócios concretizados no Porto. Entre a área que é transacionada com recurso a consultoras no mercado de Lisboa, a JLL tem uma quota de mercado de 26%, consolidando-se como uma das empresas de maior reconhecimento e dinamismo, posição que pretende atingir no mercado do Porto. Entre as empresas colocadas pela JLL em Lisboa, num total de 78 operações, incluem-se entidades como a Sitel, a Regus, a Noesis, a Lusófona, a Vda, a Accenture, a Cisco ou a Thales. No Porto, a consultora cresceu de forma expressiva, sendo responsável por 9 operações que resultaram na instalação de empresas como o Nataxis, a Randstad ou a Mercadona.

Retalho

O departamento de Retail da JLL fechou 77 operações de arrendamento de lojas em 2016, numa área total de 28.414 m² e um crescimento de cerca de 50% em termos do número de operações. Num ano de elevada atividade no retalho, com a entrada de muitas marcas novas, a JLL colocou insígnias nos mais diversos segmentos de consumo quer no comércio de rua quer em empreendimentos comerciais. Na rua, acompanhou a instalação de diversas marcas em Lisboa e Porto, incluindo as lojas da Armani Exchange na avenida da Liberdade e na rua de Santa Catarina; da Adidas nos Restauradores e na rua de Santa Catarina; ou da Fitness Hut em Alfragide e em Gaia. Ainda no comércio de rua e apenas em Lisboa colocou a Zara Home na avenida António Augusto de Aguiar; a Cobre, no Cais do Sodré, e a Khiel’s no Príncipe Real, entre outras. Nos centros comerciais, a empresa está a dinamizar a comercialização do Mar Shopping Matosinhos, onde colocou recentemente marcas como a Gant; e está encarregue de comercializar o Mar Shopping Algarve, naquele que será um dos maiores projetos de centros comerciais a surgir no mercado português nos últimos anos.

Residencial

Com pouco mais de dois anos de atividade, este Departamento cimentou em 2016 a sua posição de liderança no mercado residencial premium e o reconhecimento como a melhor equipa profissional especialista em empreendimentos, avulsos e marketing residencial. O negócio residencial cresceu cerca de 25% em 2016, com a empresa a assumir a comercialização dos principais projetos de habitação no segmento premium em Lisboa, apresentando uma carteira de mais de 2.150 unidades residenciais em venda, entre os quais Aliados 107, Orpheu XI, Antonio Augusto Aguiar 84, República 37, Villa Garcia, Vila Montrose, The Lumiares, Liberdade Terraces, The Boulevard e Tróia Resort. A diversificação geográfica dos projetos comercializados, com mandatos conquistados no Porto e em Troia, merecem também destaque em 2016, bem como a maior penetração no mercado externo, com a JLL a realizar vendas habitacionais junto de 43 nacionalidades diferentes.

Tétris (arquitetura e construção de interiores)

Em 2016, a Tétris cresceu 22% em volume de negócios, concluindo 128 obras, distribuídas de forma semelhante entre os segmentos de escritórios e de lojas. O percurso de crescimento foi marcado pela diversificação no tipo de projetos intervencionados (luxo, restauração, clinicas, moda, desporto, stands automóveis) e pautou-se pelo elevado nível de qualidade e rigor na entrega dos trabalhos. Entre os projetos concluídos destacam-se, nos escritórios, instalações para a GS1 Portugal, EY, Accenture, Avigilon e AKI; no retalho mass market, lojas para a Vodafone, Adidas ou 2 stands para a BMW, e no segmento de bens de luxo, espaços para a Armani, Bulgari, Versace, Rosa & Teixeira e Fashion Clinic.

Gestão de Projeto

Foi uma das áreas de maior crescimento em 2016, mais que duplicando a sua atividade. Foca-se essencialmente no apoio técnico, acompanhamento e desenvolvimento de projetos imobiliários, gerindo todo o processo de promoção imobiliária em representação dos seus clientes. Entre os projetos em que o departamento esteve envolvido em 2016, destacam-se os edifícios na Avenida da República 37, na Rua Duque de Palmela 21, ou no Largo do Mastro. Além da gestão de projeto no segmento residencial, que tem garantido o maior fluxo de trabalho por ser o que predomina no pipeline de promoção imobiliária nos dois últimos anos, o departamento pretende conquistar mais projetos em edifícios de escritórios, assim como intervir na área de hotelaria, em projetos novos ou na reabilitação de imóveis existentes.

Gestão de Imóveis

A consultora fechou 2016 com uma carteira superior a meio milhão de m² de área sob gestão, distribuída por 40 projetos nas áreas de escritórios, retalho e industrial, crescendo cerca de 32% face a 2015 em termos de área gerida. Entre os mandatos conquistados em 2016, destaca-se a gestão de um portefólio de seis centros comerciais detidos pelo Novo Banco ou o edifício sede da NOS. A consultora ganhou ainda diversos mandatos para prestação de serviços de facilities management, uma área que reforçou em 2015, com o mandato atribuído pela UNIT 4.

Avaliações

Responsável pela avaliação de mais de 7 milhões de m², com um valor de mercado na ordem dos 16 mil milhões de euros em 2016, o Departamento prestou serviços no âmbito das principais transações de mercado e da avaliação das maiores carteiras de ativos, obtendo mandatos de relevo quer junto de clientes nacionais quer internacionais. Mais de 60% das avaliações foram para efeitos de compra/venda e financiamento de ativos imobiliários, resultante do grande momento que vive o investimento imobiliário no mercado nacional.

Consultoria Estratégica

Numa fase de elevado dinamismo do mercado imobiliário, a procura de estudos e consultoria estratégica tem sido elevada, com este Departamento a desenvolver diversos trabalhos no âmbito da compra/venda de ativos e de best uses. Dos estudos elaborados, 56% foram solicitados por clientes de origem internacional e muitos foram investidores (55% do total) que necessitam de assessoria na compra de ativos. Os proprietários e os promotores também recorrem cada vez mais à consultoria estratégica da JLL (44% do total, em 2016), tendência que se prevê venha a aumentar significativamente com o recente lançamento, na área de research, de uma plataforma de análise do mercado residencial de gama alta, uma ferramenta fundamental para a definição de conceito e produto, business plans ou simples estudo de mercado.

Hotéis & Hospitality

Com cerca de um ano de atividade e um foco exclusivo no segmento hoteleiro e turístico, este Departamento revelou um dinamismo interessante no acompanhamento de investidores e cadeias hoteleiras, na identificação de oportunidades em linha com as suas estratégias. A sua atuação centrou-se nas principais regiões turísticas de Portugal, com especial foco em Lisboa, prestando apoio aos mais variados níveis, nomeadamente estudos de mercado, definição de conceito e viabilidade económico-financeira, avaliação de ativos turísticos, busca de operadores para a gestão de unidades hoteleiras, bem como transações de hotéis.

Em relação a 2017, Pedro Lancastre mostra-se confiante: “O mercado imobiliário deverá manter-se muito dinâmico, pelo que esperamos mais um ano de grande atividade, transversal a todas as linhas de negócio. Temos uma equipa altamente qualificada e preparada para dar resposta aos desafios do mercado e aos nossos clientes, quer nas áreas transacionais quer nas não transacionais. Queremos consolidar a oferta de serviços que temos, reforçando a nossa posição como a única consultora que opera para todos os players do imobiliário em Portugal - quer seja promotor, investidor, ocupante ou proprietário - bem como para particulares através da área residencial”.