Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Negócio Residencial da JLL duplica vendas no 1º trimestre de 2017

Numa altura em que passa a operar neste negócio exclusivamente com a marca JLL e abre uma nova loja em Lisboa, a empresa espera um ano de forte crescimento


​A JLL duplicou as vendas de imóveis residenciais no 1º trimestre deste ano face ao ano passado e acredita que 2017 voltará a ser um ano de forte crescimento quer para a empresa quer para o mercado. Passando a operar neste mercado com a marca única JLL, a empresa inaugura hoje uma nova loja em Lisboa para dar resposta à crescente procura por este tipo de produto.

No acumulado dos últimos 12 meses, as vendas de imóveis residenciais realizadas pela JLL aumentaram 30% e envolveram transações com compradores oriundos de 43 países diferentes, praticamente duplicando as 24 nacionalidades junto das quais a empresa tinha vendido casas nas gamas média-alta e alta no ano anterior. Os estrangeiros pesaram 65% nas vendas, com os restantes 35% a serem absorvidos pela procura doméstica. Os brasileiros são a nacionalidade internacional que mais comprou este tipo de casas, concentrando 14% das vendas, seguindo-se os franceses com um peso absoluto de 7%, dispondo ambos de tickets médios de investimento elevados e preferência por produtos no centro de Lisboa, Porto e Cascais. Ainda entre os estrangeiros, a JLL destaca os compradores oriundos do Médio Oriente, cuja motivação de investimento está bastante ligada à atribuição do Golden Visa e que procuram investimentos não muito acima dos 500 mil euros, em zonas cuja procura de arrendamento - de curto ou longo prazo – seja viável.

“O mercado residencial português continua a registar um crescimento acentuado, com maior impacto no segmento premium em Lisboa, Porto e Cascais, que têm beneficiado de uma maior projeção internacional e gerado uma elevada dinâmica de vendas junto de estrangeiros. Mas também os compradores portugueses estão hoje mais atentos ao mercado e a investir cada vez mais em imobiliário”, comenta Patrícia Barão, Head of Residential da JLL. “A fase de crescimento do mercado deverá não só continuar, como alargar-se a outros segmentos e localizações, nomeadamente zonas anteriormente pouco consideradas para a construção de habitação, como a zona Ribeirinha, Alcântara – Belém ou a Avenida Duque de Loulé”, diz Patrícia Barão.

Atenta àquele que considera ser um dos melhores momentos do mercado residencial em Portugal e na sequência da sua estratégia de crescimento no segmento residencial premium, a JLL inaugura hoje uma nova loja no coração de Lisboa, que nasce no edifício onde, durante anos, funcionou a Loja das Meias, na confluência das ruas Braancamp e Castilho, junto à Avenida da Liberdade. Com conceito e execução da Tétris, trata-se de um novo espaço de atendimento personalizado numa localização de prestígio e de elevada visibilidade, uma estratégia que já norteou a abertura da loja de Cascais, em setembro passado. A JLL pretende ainda abrir uma nova loja na Baixa de Lisboa e a primeira loja no Porto, um mercado onde está apostada em crescer ao longo do ano.

A abertura da loja de Lisboa marca ainda a data a partir da qual a empresa passa a operar neste mercado exclusivamente com a marca JLL. Criado em 2015, o departamento residencial da JLL atuou até agora com a designação JLL/Cobertura, na sequência da aquisição desta última empresa (em início de 2016) como uma via estratégica para o crescimento deste negócio. Além da atividade crescer 30%, a JLL obteve, neste período, uma maior penetração no mercado internacional e aumentou exponencialmente o número de projetos em comercialização. A consultora detém atualmente uma carteira de mais de 3.250 unidades residenciais em venda nesta gama de mercado, incluindo em projetos como os Aliados 107, Orpheu XI, António Augusto Aguiar 84, República 37, Villa Garcia, Vila Montrose, The Lumiares, Liberdade Terraces, The Boulevard e Tróia Resort.

“O balanço desta estratégia de crescimento não poderia ser mais positivo, com claros benefícios para os nossos clientes. Alargámos o leque de serviços prestados, ganhámos escala em termos de quota de mercado e zonas cobertas, canais de venda e recursos humanos, e acima de tudo conquistámos a confiança dos promotores e clientes finais. Temos atualmente em comercialização o portefólio de empreendimentos mais vasto no segmento em que atuamos, o que nos permite ser o player com maior abrangência e conhecimento do que se está a vender neste mercado”, comenta Pedro Lancastre, Diretor Geral da JLL.

“Entramos agora numa nova fase em que nos apresentamos ao mercado residencial com a marca JLL unificada, conforme previsto aquando da aquisição da Cobertura. A nossa estratégia continua a ser de crescimento da atividade e consolidação da posição de liderança no mercado residencial premium e estamos confiantes que vamos este ano crescer novamente não só em vendas como em projetos que nos confiam para comercializar”, diz ainda Pedro Lancastre.

A JLL disponibiliza atualmente uma gama de serviços para o mercado residencial que contempla a comercialização de projetos, consultoria e marketing, abrangendo produtos novos e usados, quer para venda quer para arrendamento. Tem uma equipa de 70 pessoas nesta área (mais 20% que no início de 2016), especializada em ajudar proprietários e promotores a tomar as melhores decisões na definição de produto, definir ações de marketing e comercializar os seus imóveis.