Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: Jan - Out 2017

Mais negócios e maior ocupação líquida confirmam dinamismo do mercado de escritórios. Take up nos primeiros 10 meses do ano cresceu 14% para mais de 125.000 m²


​Na reta final do ano, a atividade no mercado de escritórios de Lisboa segue em crescimento, com a área ocupada até outubro a superar em 14% o nível registado em igual período de 2016, atingindo os 125.304 m², apurou a última edição do Office Flashpoint da JLL. A consultora mantém uma posição de liderança neste mercado, ao garantir uma quota de 35% da área colocada no acumulado do ano.

O dinamismo do mercado é ainda visível no número de operações concluídas, com os 218 negócios contabilizados nos primeiros 10 meses de 2017 a representarem um aumento de 35% face a 2016. Também a absorção líquida (i.e. a que resulta de expansão de área ou entrada de novas empresas no mercado) reflete o crescimento da atividade. De acordo com a análise do Office Flashpoint, da área absorvida até outubro, 67.679 m² corresponde a absorção líquida, ou seja 19,3% acima dos 56.700 m² líquidos registados em 2016.

Mariana Rosa, diretora do departamento de Office Agency da JLL, comenta: “a atividade no mercado de Lisboa está a evoluir favoravelmente, e tudo indica que 2017 possa encerrar com um valor acima de 2016. Além disso, é importante olhar para a componente líquida da absorção, que exclui operações de mudança de escritório e que apenas considera as operações que correspondem à tomada adicional de área, que este ano está a crescer a um ritmo superior ao da absorção total”.

Quanto à atividade mensal, em outubro foram concluídas 19 operações totalizando uma área de 11.833 m², um volume 48% abaixo do mês anterior e 5% abaixo do mês homólogo. “É preciso ter em conta que outubro sucedeu a um setembro excecionalmente ativo, e que foi o melhor mês de 2017 em termos de performance”, sublinha a mesma responsável.

Em outubro, foram contabilizadas três operações envolvendo áreas superiores a 1.000 m², todas no Corredor Oeste: a tomada de 2.861 m² no edifício Álvares Cabral Q42 na Quinta da Fonte, numa operação mediada pela JLL; o arrendamento de 1.764 m² no edifício V do Parque Suécia pela José de Mello Saúde, e por último, os 1.483 m² ocupados pela Outsystems no Central Park. Neste mês, mais de 60% da área colocada refere-se a expansões de área e entrada de novas empresas (Absorção Líquida).