Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

JLL aposta na cidade do Porto

Consultora investe na cidade Invicta com nova loja na Baixa da Cidade, contando com uma equipa de 15 profissionais nas áreas de habitação, escritórios, retalho, investimento, promoção imobiliária e gestão de imóveis.


​A JLL está a reforçar a sua aposta no Porto, um mercado onde está em franco crescimento e no qual atua desde 2002. A consultora inaugurou uma loja para a área Residencial situada no coração da Baixa, na Travessa da Bainharia, junto à rua das Flores, uma das zonas mais nobres e movimentadas da Invicta.

“O Porto está a crescer e a JLL também. Esta loja é mais um passo na nossa estratégia de expansão neste mercado. O potencial de crescimento do imobiliário do Porto é estrondoso. A cidade está a fervilhar enquanto destino residencial e turístico, com as vendas a subirem e cada vez mais estrangeiros a comprarem casas. Também a capacidade de atração de empresas e investimento está num sentido ascendente e nunca antes visto, o que tem impulsionado a dinâmica do mercado de escritórios de forma impressionante”, comenta Pedro Lancastre, Diretor Geral da JLL em Portugal.

Com este novo espaço, a consultora imobiliária dá uma nova face à sua presença na cidade, onde conta atualmente com uma equipa permanente de 15 pessoas, disponibilizando serviços integrados nas áreas de habitação, retalho, escritórios, investimento, promoção imobiliária e gestão de imóveis. A loja do Porto está numa localização de prestígio num espaço de grande visibilidade, estando preparada para receber clientes das mais diversas origens com um acompanhamento personalizado, uma estratégia que norteia a expansão da rede de atendimento ao público na área residencial, atualmente com espaços em Cascais e em Lisboa, onde a consultora abriu uma flagshipstore na Rua Castilho.

A consultora tem registado uma elevada atividade neste mercado, onde conquistou já importantes mandatos de comercialização na área residencial (incluindo projetos como o Aliados 107, Bessa Residence, Boavista Prime, Attico, Marechal 1000, Flores Plaza, o Primrose, o Uno Al Mar, o Ouro Residence e o Infante), na área de escritórios como a Natixis, a maior operação de escritórios dos últimos anos em m², com obra da Tétris, mas também a Lionesa, Trindade Domus, Torre Burgo ou o edifício Urbo. Finalmente com forte presença no desenvolvimento imobiliário, como foi o caso do Bonjardim City Block, um dos maiores projetos privados de promoção imobiliária no centro histórico da cidade e cuja comercialização está a seu cargo.

Porto, um mercado dinâmico

Na área de escritórios, o Porto vai continuar a ser uma opção para cada vez mais empresas, especialmente nas áreas de serviços partilhados e tecnologias da informação, e com especial dinâmica na captação de ocupantes internacionais. Também as startups, nacionais e estrangeiras, são uma franja da procura com elevado potencial. Tendo em conta as operações realizadas em 2017 no mercado e as negociações em que a JLL está envolvida no momento, a absorção de escritórios na cidade este ano deverá superar os 30.000 m2 e seguirá em crescendo no próximo ano. Do lado da oferta, há já bastante atenção a este dinamismo e o pipeline de novos escritórios deverá ganhar mais volume brevemente. As rendas médias mantém-se bastante competitivas quer face a Lisboa quer face a outras cidades da Europa, no entanto têm registado aumentos, com valores em torno dos 17 euros/m2/mês no prime CBD (Boavista) e 14 euros/m2/mês no eixo da Baixa.

No comércio de rua, as rendas estão a crescer a um ritmo muito superior ao de Lisboa, comprovando o crescente interesse dos retalhistas pela cidade e que a oferta de espaços também está a qualificar-se. As rendas de rua nas quatro principais zonas comerciais do Porto estão atualmente em níveis que oscilam entre os 60 euros/m2/mês (Rua de Santa Catarina, que é muito procurada por retalhistas mass market) e os 35 euros/m2/mês (no eixo Flores/Mouzinho da Silveira, cada vez mais procurado por conceitos mais alternativos e restauração). Nos Clérigos, destino escolhido para instalação de novos conceitos e entretenimento, as rendas estão nos 35 euros/m2/mês; e na Avenida dos Aliados, que se está a posicionar como destino das marcas internacionais premium e de luxo, as rendas estão nos 40 euros/m2/mês.

De acordo com a área de research da JLL, o mercado imobiliário do Porto tem mostrado um dinamismo surpreendente quer na área residencial, quer nas áreas de escritórios e comércio. No mercado residencial, a cidade segue o mesmo percurso que Lisboa. Assiste-se à retoma do investimento doméstico e ao aumento exponencial da procura de investidores internacionais. Na Invicta, o segmento premium também está mais focado nas zonas que estão a ser alvo de reabilitação no Centro Histórico, além da tradicional zona da Foz, mas a promoção está igualmente a começar a apostar no segmento médio em zonas menos centrais. Os valores de venda no centro, no último trimestre de 2017, registaram um crescimento médio de 31% face ao último trimestre de 2016. Ainda assim, estes valores mantêm-se num patamar muito competitivo face às congéneres europeias, o que, associado à boa qualidade de vida, tornam a cidade um destino cada vez mais apelativo para residentes estrangeiros.