Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Área de escritórios transaccionada em Lisboa triplica no 3º trimestre

Jones Lang LaSalle apresenta Lisbon Office Overview


A Jones Lang LaSalle divulgou o seu mais recente relatório de research Lisbon Office Overview, revelando que a absorção de espaços de escritórios em Lisboa no terceiro trimestre deste ano ascendeu a aproximadamente 49.900 m² de área bruta locável (ABL), mais que triplicando face ao trimestre anterior. Com a performance do 3º trimestre, o acumulado do ano situa-se nos 86.500 m² de ABL, prevendo-se que a absorção anual ascenda a um volume entre os 100.000 e os 120.000 m², equivalente aos níveis registados em 2003.

Manuel Puig, Director Geral da Jones Lang LaSalle, explica: “Este cenário foi sem dúvida previsto e esperado por todos os intervenientes do mercado. Sob um clima de recessão económica, as empresas demonstraram cautela e prudência nas suas decisões, demonstrando uma preocupação acrescida de redução de custos e aproveitamento eficiente de todos os seus recursos”.

Mariana Seabra, Directora de Office Agency da Jones Lang LaSalle, acrescenta: “Outro facto importante a destacar no mercado foi a renegociação de rendas. Perante o possível cenário de um aumento significativo dos espaços vazios nos imóveis, muitos proprietários demonstraram abertura para renegociar valores de rendas, períodos de carência ou contribuições de fit-out”.

As zonas 3 (zona nova de escritórios) e 4 (zona secundária) foram as mais activas do trimestre, contribuindo com, respectivamente, 17.500 m² e 11.300 m² de absorção, o equivalente a 58% do total do volume tomado no trimestre em todo o mercado.

Não obstante os bons resultados face aos dois trimestres anteriores, nos quais a absorção não alcançou os 20.000 m² de ABL, o 3º trimestre do ano apresentou uma performance bastante inferior aos períodos homólogos de 2008 e 2007, face aos quais decresceu, respectivamente, 59% e 40%.
A dimensão média das transacções merece também destaque no 3º trimestre, crescendo significativamente face aos dois trimestres anteriores.
 
No final do 3º trimestre, a área média de escritórios transaccionada em Lisboa cresceu para os 934 m², contra os 327 m² no 1º trimestre e 274 m² no 2º trimestre. Em termos anuais, esta diferença foi entre 491 m² em 2009 contra 188 m² em 2008. No topo das dez maiores transacções de arrendamento de escritórios realizadas em Lisboa no 3º trimestre de 2009, está a colocação de cerca de 9.500 m² na Torre Oriente Colombo, seguindo-se os 7.000 m² ocupados pela EMSA no seu novo edifício sede, no Cais do Sodré.
 
Os bons resultados do trimestre influenciaram também a taxa de disponibilidade, que decresceu ligeiramente para os 7,73% do stock, que, no final do trimestre, se situava nos 4.366.723 m². De acordo com a Jones Lang LaSalle, o stock de escritórios tem registado um crescimento médio anual na ordem dos 2%, embora este ano seja esperado um acréscimo importante. As perspectivas são para que surjam no mercado, se cumpridos todos os planos, 116.000 m² de ABL, embora dos quais 68.400 m² estejam já ocupados. Para os próximos dois anos, o volume de nova oferta é mais modesto, com 112.000 m² de ABL previstos.

Quanto às rendas, a tendência tem sido de descida ao longo do ano, com o valor prime a situar-se nos 19,5€/m² no 3º trimestre de 2009, abaixo dos 20,50€/m² do trimestre anterior e dos 21€/m² registados no início do ano.
- ends -