Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Lisboa

Office Flashpoint: fevereiro 2015

JLL assegura 76% da área colocada em fevereiro e 43% no acumulado do ano


​A JLL acaba de divulgar os resultados da atividade do mercado de escritórios de Lisboa em fevereiro, apurando que neste mês foram transacionados 9.946 m², um volume que, em conjunto com os 9.206 m² arrendados em janeiro, eleva para 19.152 m² o acumulado do ano.

O mercado começa assim o ano em rota ascendente, superando já em dois meses de atividade a performance do total do 1º trimestre do ano passado (17.258 m²) em cerca de 10%. Face aos dois primeiros meses de 2014, a evolução é bastante mais expressiva, apresentando uma melhoria de 76%.

Destaque também para o contributo da JLL no bom desempenho do mercado de escritórios, com a consultora a assegurar 76% da área colocada em fevereiro e 43% no acumulado do ano, sendo líder de mercado neste segmento.

Para Mariana Rosa, Diretora de Office Agency e Corporate Solutions da JLL, “estes dados são muito positivos, pois confirmam que a recuperação iniciada em 2014 está a ter continuidade este ano e tudo indica que possa mesmo reforçar-se. Nós sentimos, de facto, a procura mais dinâmica, sendo também notória uma maior celeridade no fecho das operações. Isto refletiu-se na forte atividade da JLL nestes primeiros meses do ano, quer no número de operações quer no arrendamento de áreas maiores.”

A análise da JLL, apresentada no seu mais recente Office Flashpoint, refere que em fevereiro se verificou um crescimento homólogo de 47% na absorção, enquanto que em termos mensais, essa evolução foi de 8%. Nesse mês, cerca de 56% das operações foram motivadas pela necessidade de expandir, sendo que a área média transacionada aumentou para 663 m² (575 m² em janeiro). As empresas de Serviços Financeiros foram as mais dinâmicas, ocupando 38% do espaço arrendado em fevereiro, seguidas das empresas de TMT’s & Utilitie’s, com um peso de 25% na absorção. Em termos de localizações, as preferências recaíram sobre o CBD (39% do take up mensal) e o Corredor Oeste (28%).

Estas foram também as duas principais zonas na atividade do mercado no acumulado do ano (janeiro e fevereiro), embora em posições invertidas, 39% para o Corredor Oeste e 26% para o CBD. Neste período, destaca-se ainda o Parque das Nações, com 20% da absorção em 2015. Já em termos de procura, as empresas do setor de Produtos de Consumo garantiram 28% do take up acumulado, seguindo-se os Serviços Financeiros (26%). Refira-se ainda que nos dois primeiros meses de 2015, a mudança de edifício dominou a atividade do mercado de escritórios, originando 53% dos arrendamentos em termos de área, ao mesmo tempo que a área média ocupada voltou a crescer, fixando-se agora em 618 m² (529 m² no acumulado de 2014).